Páginas

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

INSÔNIA... Um sonho mais ou menos assim

Levantei, fui a cozinha, peguei uma chicará de café e comecei a sonhar...

... Um sonho... Se é que posso chamar de sonho. Talvez um sonho acordado??

Um sonho com o qual me fez pensar e quanto mais pensava, mais pensava em você!

No sonho estávamos numa praia deslumbrante,
Andávamos pela areia de mãos dadas, deixando um rastro na areia. Então, uma brisa forte veio e apagou nossos rastros, deixando-nos sem pegadas.

Você olhou pra mim e perguntou:
-Porque o vento levou nossas pegadas?
Então eu fitei meus olhos nos seus e disse:
-Às vezes o que queremos guardar, o que é bonito, nunca fica pra sempre. Você não será mais bela quanto é agora. As pegadas são como nosso passado, onde tudo fica pra trás, coisas boas e ruins, momentos alegres e tristes. Tudo que tivemos ou queríamos ter, passa a ser supérfluo e perde o valor. Mas esse momento é único. Onde estamos, porque estamos aqui. Isso é o que me faz feliz, estar ao seu lado é o que eu mais quero!

Assim, me aproximei de você e com um suave beijo em seus lábios, consegui sentir a felicidade que eu sempre quis.

Então, deitamos na areia e olhamos para o céu. Eu lhe perguntei:
- O que você vê?
Você então respondeu:
- Vejo lindas estrelas.
- Escolha uma estrela.
- Eu falei.
Você sorriu. Havia milhares de estrelas. Você escolheu uma bem brilhante.
-Escolho aquela.
-De hoje em diante ela será sua. Mesmo quando seu céu estiver coberto pelas tempestades, aquela estrela estará brilhando dentro de você, mostrando os caminhos que deve seguir e revelando o meu amor. - Eu disse!

Após isso, você me beijou. Então despertei!

Mas que porra é essa? ...

... Voltando para o presente, passado a ser um futuro igualmente medíocre. Enquanto você esta com quem não merece, mas o que me resta, apenas continuar...

... Acendo um cigarro e espero o café ficar pronto para mais uma dose de veneno ilusório, querendo vomitar o interior para construir a realidade ridícula que eu sempre esperei...

... Eu jogo de acordo com as cartas que me dão. Não tenho culpa de receber apenas "coringas" e "espadas"! (Dialogando com o alter ego sobre a falsidade e a mentira)

... - Mas você não pode fazer isso comigo. Eu não mereço tanta sinceridade!
- Foda-se... Estou jogando o seu jogo fétido e medíocre...

... Espero que a verdade seja dita e que a mentira seja esquecida. Pois uma mentira é forte, mas não o bastante para retirar da verdade a simpleza de ser verdadeira!


Trechos do livro: "INSÔNIA... Um sonho mais ou menos assim"
Autor: Flávio A. Santos  (Vulgo LemãO-Shady)

Data de lançamento: Quem sabe um dia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário